• comercial18125

Chuvas e clima ameno melhoram perspectivas para soja na Argentina

As chuvas e o clima ameno registrados desde o início do mês na região central da Argentina melhoraram as perspectivas para a produtividade da soja na safra 2020/21, disse nesta quinta-feira a Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BdeC), que atualmente estima uma colheita de 46 milhões de toneladas da oleaginosa.

Até o mês passado, a Argentina maior exportadora de óleo e farelo de soja do mundo registrava chuvas abaixo do normal, o que acendeu alertas entre produtores, cujos cultivos entraram em estágios decisivos para o desenvolvimento.

“Continua a melhora das áreas plantadas sobre grande parte das províncias de Córdoba, Santa Fe e em ambos os núcleos agrícolas. Essas regiões informam rendimentos esperados acima dos que eram projetados antes das chuvas do início deste mês”, disse a BdeC.

Apesar disso, a bolsa explicou que o clima das próximas semanas será determinante para que as novas expectativas se mantenham, e que regiões produtoras do norte do país possuem uma oferta hídrica limitada.

Na semana passada, a Bolsa de Comércio de Rosario elevou sua previsão para a safra de soja argentina a 49 milhões de toneladas, e a de milho para 48,5 milhões de toneladas, graças às chuvas recentes.

Em relação ao milho 2020/21, cuja safra a BdeC também estima em 46 milhões de toneladas, a bolsa de Buenos Aires disse que as chuvas das últimas semanas foram favoráveis para às áreas do cereais semeadas de maneira tardia.


Fonte: MONEYTIMES/REUTERS




0 visualização0 comentário