• comercial18125

Conab estima produção menor de arroz na safra atual e queda nos preços

O Brasil deve produzir 10,935 milhões de toneladas de arroz na safra 2020/21, uma queda de 2,22% em relação à temporada passada, mas 0,28% maior do que a projeção realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em janeiro. A estatal é responsável por gerir políticas agrícolas e garantir o abastecimento de alimentos à população do Brasil. Este volume deve ser suficiente para abastecer o consumo interno, estimado em 10,8 milhões de toneladas de arroz. A atualização das estimativas foi divulgada nesta quinta-feira (11) pela estatal, em seu 5º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21. Apesar da diminuição da colheita do arroz, a expectativa é de queda de preços ao consumidor, após a forte disparada em 2020. Já os estoques do cereal devem crescer 8,46% e atingir 1,731 milhão de toneladas em dezembro de 2021, diante da queda das exportações e redução do consumo, segundo a Conab. O relatório informou ainda que a produção total de todos os grãos e cereais do país deve atingir 268,3 milhões de toneladas, um volume recorde e 4,4% superior ao obtido em 2019/20.

Preços do arroz

Em janeiro, o preço pago ao produtor do Rio Grande do Sul pela saca arroz recuou 6,58%, para R$ 89,46. O estado colhe a maior safra do país. Segundo o superintendente de gestão da oferta da Conab, Allan Silveira dos Santos, esse processo de queda de preços já ocorre há três meses e pode chegar ao consumidor. "Esse reflexo de preço tem a questão sazonal (...) a gente sabe que agora vai se intensificar a colheita de arroz. Então nesse período do ano, normalmente se tem um preço de arroz um pouco menos elevado", comenta Allan . Ele diz ainda que as fortes importações do cereal entre outubro e dezembro também colaboraram para o recuo dos preços, já que, com isso, as indústrias foram abastecidas. "A variação de preços em janeiro é sazonal e sinaliza para o consumidor que essa diminuição de preço pago ao produtor pode se refletir em um menor preço no mercado", diz Allan.

Estoques Segundo a Conab, a expectativa de crescimento dos estoques de arroz para este ano deve ser impulsionada por uma diminuição do consumo interno e das exportações. "Isto é resultado, principalmente, de uma projeção de retração do consumo em razão da perspectiva de recuperação econômica", afirma a estatal em relatório. Além disso, a projeção é de queda de 39,3% das exportações brasileiras de arroz nesta safra em relação à temporada passada, para 1,1 milhão de toneladas. "Isso já se apresenta em janeiro. Neste mês já nós já exportamos menos", diz Allan. Feijão

Já a expectativa para a produção de feijão na safra 2020/2021 avançou 3,32% em fevereiro em relação à janeiro, para 3,250 milhões de toneladas. Este volume também é 0,87% maior do que a colheita da temporada passada. O consumo, por sua vez, deve recuar 3,17%, para 3,050 milhões de toneladas. Já os estoques podem avançar 57,8%, a 320 mil toneladas.


Fonte:Planeta Arroz



4 visualizações0 comentário

Política de Privacidade

Endereço:

Rua: Sete de Setembro, 274

Sala CJ 501 Centro - Pelotas/RS
CEP 96015-300

Telefones:

(53) 3225-9330

(53) 3225-5621

(53) 9811-20578

E-Mail:

Cereagro 2020 -  Todos os direitos reservados