• comercial18125

Indicador do arroz rompe patamar inédito dos R$ 100 /sc , com maior consumo interno e exportações

Um choque entre a oferta e a demanda foi o principal fator para que o preço da saca de arroz batesse seu recorde, chegando ao patamar de preços em R$ 100 / saca. Para explicar esse movimento, Lucílio Alves, pesquisador do Cepea, lembrou que nos últimos 10 anos o produtor de arroz não teve rendimentos o suficiente para pagar seus investimentos. Isso fez com que muitos produtores migrassem para outras culturas, o que acabou delimitando a oferta do produto. No entanto, durante a quarentena causada pela pandemia do Covid-19, a demanda por arroz aumentou gradualmente, possibilitando a escalada de preços. O câmbio também foi um fator extra, já que favoreceu a exportação. Além disso, os estoques para este ano foram baixos, acarretando em menor oferta para o mercado. Fatores que indicam que os preços do arroz não devem reduzir tão cedo: "A próxima safra virá após fevereiro do ano que vem, sendo que até lá a única solução seria a importação do produto. Porém, o produto importado não chega com preço tão competitivo quanto o produto nacional, o que significa uma tendência para a manutenção desse patamar", alertou o pesquisador. No entanto, o cenário atual não é parâmetro para o futuro, já que após o fim da pandemia a demanda por arroz poderá mudar. Além disso, será necessário avaliar como os produtores irão se comportar e se os preços valorizados serão o suficiente para incentivá-los a aumentarem suas áreas de produção. Por isso, Lucílio acredita ser cedo ainda para definir um novo patamar de preços, mas que a possibilidade dessa manutenção existe.

Por: Aleksander Horta e Ericson Cunha

Fonte: Noticias Agrícolas


Política de Privacidade

Endereço:

Rua: Sete de Setembro, 274

Sala CJ 501 Centro - Pelotas/RS
CEP 96015-300

Telefones:

(53) 3225-9330
(53) 3225-6908

(53) 3225-5621

(53) 9811-20578

E-Mail:

Cereagro 2020 -  Todos os direitos reservados