• comercial18125

Portaria do Mapa estabelece calendário de vazio sanitário da soja no Estado

A partir deste ano, os produtores de soja do Rio Grande do Sul precisarão respeitar o período de vazio sanitário, definido pela Portaria nº 516 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ou seja, de 13 de julho a 10 de outubro não se pode plantar, nem manter vivas plantas da oleaginosa em qualquer fase de desenvolvimento.


Tais medidas fitossanitárias, implementadas no Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS), buscam reduzir as aplicações de fungicidas e evitar a resistência do fungo Phakopsora pachyrhizi às moléculas químicas utilizadas no controle desta praga. Para ajustar o cronograma ao território gaúcho, entidades que envolvem esta cadeia produtiva estiveram reunidas por diversas ocasiões nos últimos meses.


“Tivemos vários encontros na Câmara Setorial da Soja, e levamos em consideração as características de solo e as condições climáticas de cada região para estabelecermos este intervalo sanitário. O início do vazio coincide com o período de geada no Rio Grande do Sul, potencializando os seus benefícios”, destaca o diretor-secretário da Associação Brasileira dos Produtores de Soja no Estado (Aprosoja- RS), o engenheiro agrônomo, Luís Fernando Fucks.


A chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Rita de Cássia Antochevis, destaca que equipes irão circular pelo Estado fiscalizando a execução das normas. “A expectativa é de que o vazio seja cumprido na íntegra, pois a decisão foi definida pelo próprio setor da soja, após uma ampla discussão. Mas, caso o produtor não respeite o prazo, vai ser necessária a desvitalização da lavoura ou que ele faça o controle destas plantas baixas”, explica. Para o próximo ano, Rita informa que a secretaria está buscando algumas alternativas para fazer um monitoramento remoto via satélite.


Além disso, a Portaria nº 607, publicada pelo Mapa nesta semana, estabelece calendários de semeadura de soja referente à próxima safra para serem seguidos por 21 unidades da Federação. No Estado, o ciclo deve ocorrer de 11 de outubro de 2022 a 28 de fevereiro de 2023. Segundo o ministério, a elaboração do ciclo levou em consideração a análise dos dados relativos ao acompanhamento da safra de soja, realizado semanalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).


Fonte: Correio do Povo


3 visualizações0 comentário